quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Tinha que ser ...carioca.

Um ano atrás nós testemunhávamos um grande sucesso no cinema nacional, Tropa de Elite.

O filme gerou polêmica. Tratou de assuntos como o combate à violência no Rio de Janeiro, a relação da polícia com o tráfico, a polícia versus polícia, o BOPE.
E ainda houve o caso da fita 'roubada' que foi copiada e disseminada por camelôs das grandes cidades. Uma versão não-oficial que caiu na graça do público. Admito que a versão pirata é melhor que a versão original. Vi as duas sim, eu admito!

Como sou a favor da cultura e amo cinema, prestigiei uma apresentação no cinema e uma no dvd do original.

Tínhamos um herói ou vilão? O Capitão Nascimento. Criou jargões usados até hoje. " O senhor é um fanfarrão".

Agora, um ano depois, surge um novo filme que continua no mesmo assunto. A violência no Rio de Janeiro. Depois do documentário do ônibus 174, veio agora o filme mostrando o outro lado da moeda (?).

Essa nova versão, "Última parada 174" de Bruno Barreto, trouxe mais uma ficção baseado em fatos reais ( mesmo argumento do Tropa), conta a história do vilão ( ou vítima) Sandro Nascimento. ( O "Nascimento" do Capitão do Tropa veio em homenagem a esse rapaz do ônibus 174).
Tirem suas próprias conclusões.

Além de tudo, fizeram uma armação para o filme concorrer ao Oscar. Antes do lançamento oficial, expuseram o filme numa sala em Jundiaí, só para constar que o filme já estava sendo comercializado.

Outra coisa, a gente não aprende mesmo né? Essa é a imagem que queremos passar para o mundo? Não? Mas é o que a gente sempre faz.

"Olha mundo, aqui é violento, porque nosso povo é pobre, não tem acesso à educação, saúde e etc. Na verdade, nosso povo só rouba, trafica e mata porque tem fome."

Será que alguém vai ter pena da gente?

Isso é vergonhoso né? Competir no Oscar mais uma vez mostrando pobreza, violência e agressão?

Central do Brasil, mostrou uma brasileira que agia de má fé com a esperança de um povo, mas no fundo ela tinha bom coração. Era só uma vítima da sociedade. Aí ela foi pra um lugar mais pobre ainda ajudar um garotinho. Depois tivemos o "Cidade de Deus" seguido do "Carandiru". Todos mostravam o quê?

Tropa de Elite, pega um pega geral, não viu o Oscar nem de perto. Bem que merecia.

Mas agora apelar para o caso 174, é demais!

Já fizemos tantas outras produções que mereciam ser premiadas. Por que não indicar "Os Desafinados"? Tem até Rodrigo Santoro no elenco. Mas não, a gente só sabe vender nossos defeitos para que sintam pena da gente.

Isso não funciona mais. Já sabem de nossas riquezas. E querem todas elas. Vamos abrir os olhos.

Chega de hipocrisia e diplomacia. Tá na hora do pau!

E pra fechar o post de hoje:

Uma favela de Bangu montou um parquinho infantil na sua entrada para impedir o avanço da polícia. Quer uma solução mais criativa que essa?
Eles devem ter pensado " Com criança não se brinca, a polícia não vai quebrar nada "

GENIAL!


Além de civilidade e embelezamento do local, isso é consciência social. Não polui e não suja. Antes eram pneus queimados, agora são crianças brincando de queimada.
Infelizmente, a polícia não quis nem saber, derrubou tudo.

Tinha que ser carioca.

Atenção políticos, precisamos de algo criativo assim heim? Pensadores, vocês também precisam inovar suas idéias. Não somos pobres coitados, somos é muito ricos. Vocês não sabiam?

Vivendo e aprendendo.


Um comentário:

Cristina disse...

Gláucio eh Mara !!